domingo, 2 de julho de 2017

Eterno aprendiz

Hoje aos 32 anos
vejo as coisas de outro modo
sinto as coisas diferentemente
do que há 10 anos atrás.

Isso é óbvio, dirão.

O pouco de experiência nesse tempo
me permitiu aprender
a dar valor a coisas
que outrora tive
e hoje estão distantes
no espaço-tempo
e corro contra os dias
tentando recuperar o que passou
sabendo que é inútil.

O tempo é outro.
As pessoas são outras.
Os lugares são outros.

Mas é a mesma vida.

Quanto mais eu ando, mais me dou conta que ainda falta muito pra chegar.
Não que eu precise de tudo.
Chegaremos a algum lugar, todos nós.
Eu só preciso continuar seguindo.

E aprendendo sempre.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Continue

Keep going guy.
Just keep going.
You're going the right direction.
Wherever it is.
Just keep going.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

de pé seguiremos

Quase 4 da manhã e eu ainda de pé.
Insone, vago pela net em busca de ideias alheias, enquanto me desapego das minhas próprias.
Mas não somos sempre referenciados por algo ou alguém?
De qualquer maneira, a superficialidade da tela toma conta dos raros momentos de foco que ainda consigo ter.
Sentindo muito, não consigo encontrar sentido no que vejo ou faço.
Cercado de contradições, permaneço me contradizendo boa parte do tempo.
Sinceramente, psicologicamente, tem sido tempos difíceis.
Tempos de questionamentos profundos, tempos de busca incessante por aquilo que não se quer achar.
Os passos seguem cronologicamente, automaticamente, o rumo que encontram.
Ainda não é o ideal.
Ou não é mais?
Nem sei.
Mas ainda estou de pé.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

PROCURA-SE

Procuram-se novos destinos
para uma mente fértil de boas intenções
desgastada pela incerteza do amanhã
desiludida pelos poucos êxitos obtidos
corrompida pelas nuances do sistema
que já encarou o fato de que não se pode mudar muito as coisas
a menos que se mudem as pessoas.

Procuram-se novos sonhos
novos objetivos
novos caminhos
para uma mente cansada do desrespeito social,
decepcionada com a falta de reconhecimento
e pela percepção dos valores inversos que a nossa sociedade reproduz.

Procura-se uma nova rotina
repleta de momentos felizes
mesmo que acompanhados de pequenas doses
da melancolia necessária à vida.


quarta-feira, 21 de outubro de 2015

sempre há tempo

sempre há tempo
para os que querem
para os que sonham
para os que lutam
para os guerreiros
para os que despertam.